Empresas exportadoras de soledade apostam no mundo virtual para alavancar vendas

Soledade

IBGM

Brazilian Minerals

Ricardo Pretto


Localizada no Rio Grande do Sul, a 230 km de Porto Alegre, o município de Soledade é o maior centro de beneficiamento, comercialização e exportação de gemas do Estado. Com cerca de 30 mil habitantes, a cidade se tornou pólo industrial de minerais e pedras preciosas devido à presença de empresas renomadas do setor na região. Onze delas são participantes do projeto comprador Brazilian Minerals, uma ação do Precious Brazil, iniciativa do Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), que visa potencializar o alcance dos produtos dessas fábricas no mercado internacional, principalmente no segmento de móveis e decoração.

Uma das principais apostas do grupo é no mundo digital. O site Brazilian Minerals é um catálogo virtual que expõe algumas das possibilidades que os fabricantes da região podem oferecer. De itens menores, como chaveiros, porta-joias e saboneteiras, até maiores, como mesas, pias e vasos, a ideia do grupo é reunir todas as fábricas em um único lugar. E essa ferramenta já deu frutos: em setembro foram realizadas as primeiras vendas a compradores captados via site, um de origem italiana e outro norte-americana. Para o consultor Ricardo Pretto, responsável pela área comercial do grupo, o diferencial foi o trabalho individualizado com o cliente. “Quando se fala de um projeto comprador, geralmente trata-se de um grupo de clientes que vêm de diversos países para gerar negócios”, explica. “Em Soledade, as coisas são diferentes. Cada comprador é tratado de forma única de acordo com suas necessidades.”

Ricardo Pretto foi escolhido pelas próprias fábricas de Soledade para ser o único representante comercial do grupo Brazilian Minerals. Criado dentro do setor de minerais, graças à empresa de seu pai dedicada a manufatura de pedras brasileiras, Pretto conhece toda a dinâmica do mercado e possui conhecimento técnico para auxiliar os compradores na hora de definir os melhores produtos, e também ajuda no desenvolvimento de itens de acordo com as necessidades comerciais. “Eu acompanho todo o processo, desde a fabricação e venda até a exportação”, conta. “Incluindo o pós-venda, verificando se todas as peças chegaram corretas e sem danos”.

Em conjunto, as onze fábricas do Brazilian Minerals possuem importância significativa para a economia regional e nacional e venderam cerca de US$ 200 milhões para mais de 30 países do mundo no quadriênio 2013-2016. Essas cifras representam cerca de 90% das exportações de pedras e artefatos de pedras oriundos da região de Soledade, e mais de 73% das exportações de todo o estado do Rio Grande do Sul. Em nível nacional, esses números atingem expressivos 23% do total de exportações brasileiras em pedras brutas, lapidadas e artefatos de pedras preciosas. Para as empresas, se unir como um grupo foi importante para captar os recursos do projeto setorial Precious Brazil e conquistar uma projeção internacional “Em Soledade, acaba que uma empresa complementa a outra”, conta Pretto. “Ao passo que são concorrentes, são também parceiras”.

Sobre a Apex-Brasil

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira. A Agência realiza ações diversificadas de promoção comercial, como missões prospectivas e comerciais, rodadas de negócios, apoio à participação de empresas brasileiras em grandes feiras internacionais, e visitas de compradores estrangeiros e formadores de opinião para conhecer a estrutura produtiva brasileira.

Sobre o Precious Brazil

O Projeto Setorial visa apoiar e promover as empresas brasileiras dos segmentos de pedras, bijuterias e joias brasileiras que queiram exportar seus produtos, sejam elas iniciantes, exportadoras e internacionalizadas. Conduzido pelo IBGM – Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos em parceria com a Apex-Brasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – o projeto atende atualmente cerca de 160 empresas do setor.

Empresas exportadoras de soledade apostam no mundo virtual para alavancar vendas

Soledade

IBGM

Brazilian Minerals

Ricardo Pretto













Localizada no Rio Grande do Sul, a 230 km de Porto Alegre, o município de Soledade é o maior centro de beneficiamento, comercialização e exportação de gemas do Estado. Com cerca de 30 mil habitantes, a cidade se tornou pólo industrial de minerais e pedras preciosas devido à presença de empresas renomadas do setor na região. Onze delas são participantes do projeto comprador Brazilian Minerals, uma ação do Precious Brazil, iniciativa do Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), que visa potencializar o alcance dos produtos dessas fábricas no mercado internacional, principalmente no segmento de móveis e decoração.

Uma das principais apostas do grupo é no mundo digital. O site Brazilian Minerals é um catálogo virtual que expõe algumas das possibilidades que os fabricantes da região podem oferecer. De itens menores, como chaveiros, porta-joias e saboneteiras, até maiores, como mesas, pias e vasos, a ideia do grupo é reunir todas as fábricas em um único lugar. E essa ferramenta já deu frutos: em setembro foram realizadas as primeiras vendas a compradores captados via site, um de origem italiana e outro norte-americana. Para o consultor Ricardo Pretto, responsável pela área comercial do grupo, o diferencial foi o trabalho individualizado com o cliente. “Quando se fala de um projeto comprador, geralmente trata-se de um grupo de clientes que vêm de diversos países para gerar negócios”, explica. “Em Soledade, as coisas são diferentes. Cada comprador é tratado de forma única de acordo com suas necessidades.”

Ricardo Pretto foi escolhido pelas próprias fábricas de Soledade para ser o único representante comercial do grupo Brazilian Minerals. Criado dentro do setor de minerais, graças à empresa de seu pai dedicada a manufatura de pedras brasileiras, Pretto conhece toda a dinâmica do mercado e possui conhecimento técnico para auxiliar os compradores na hora de definir os melhores produtos, e também ajuda no desenvolvimento de itens de acordo com as necessidades comerciais. “Eu acompanho todo o processo, desde a fabricação e venda até a exportação”, conta. “Incluindo o pós-venda, verificando se todas as peças chegaram corretas e sem danos”.



Em conjunto, as onze fábricas do Brazilian Minerals possuem importância significativa para a economia regional e nacional e venderam cerca de US$ 200 milhões para mais de 30 países do mundo no quadriênio 2013-2016. Essas cifras representam cerca de 90% das exportações de pedras e artefatos de pedras oriundos da região de Soledade, e mais de 73% das exportações de todo o estado do Rio Grande do Sul. Em nível nacional, esses números atingem expressivos 23% do total de exportações brasileiras em pedras brutas, lapidadas e artefatos de pedras preciosas. Para as empresas, se unir como um grupo foi importante para captar os recursos do projeto setorial Precious Brazil e conquistar uma projeção internacional “Em Soledade, acaba que uma empresa complementa a outra”, conta Pretto. “Ao passo que são concorrentes, são também parceiras”.

Sobre a Apex-Brasil

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira. A Agência realiza ações diversificadas de promoção comercial, como missões prospectivas e comerciais, rodadas de negócios, apoio à participação de empresas brasileiras em grandes feiras internacionais, e visitas de compradores estrangeiros e formadores de opinião para conhecer a estrutura produtiva brasileira.

Sobre o Precious Brazil

O Projeto Setorial visa apoiar e promover as empresas brasileiras dos segmentos de pedras, bijuterias e joias brasileiras que queiram exportar seus produtos, sejam elas iniciantes, exportadoras e internacionalizadas. Conduzido pelo IBGM – Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos em parceria com a Apex-Brasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – o projeto atende atualmente cerca de 160 empresas do setor.